Se você está buscando empreender deverá estar ciente de todos os passos necessários para seu novo negócio alcançar sustentabilidade e sucesso. Para abrir uma empresa deveremos analisar todos os aspectos legais e importantes para a realização desta importante etapa de sua vida.

Apesar de um ambiente atual de incertezas geradas pela crise da COVID-19, o momento atual é de muito empreendedorismo e novas oportunidades de negócios. Em Santa Catarina, por exemplo, tem se observado um saldo positivo em relação a aberturas versus fechamentos de empresas.

Muitas pessoas estão confiantes na retomada do crescimento econômico, inúmeras para poder complementar a renda da família e outras estão aproveitando nichos de mercado para iniciarem no empreendedorismo.

Recentemente, foi lançado o Programa Floripa Simples, com o intuito de desburocratizar e agilizar os processos de abertura de empresa em Florianópolis, permitindo que o trâmite seja 100% digital, e um novo fluxo bem mais rápido com integração entre JUCESC e Prefeitura.

Planejamento

Como abrir uma empresa, então?

Antes de iniciar o processo de abertura da nova empresa, você deverá realizar um bom planejamento e pesquisa de mercado.

Hoje, temos o suporte de bons profissionais, empresas e entidades empresariais que disponibilizarão informações relevantes e passos para criar o importante plano de negócios.

Com o plano de negócios em mãos e a certeza do investimento, poderemos dar os próximos passos formais.

Dentro do plano de negócios constarão desde a ideia, modelagem do negócio, aspectos legais e financeiros, pesquisa de mercado e caminhos para sua adequada estruturação.

Agora sim, você estará mais convicto desta importante tomada de decisão e seu futuro negócio terá mais chance de ter êxito.

Aspectos legais e orientação técnica

Vamos agora para o passo seguinte que envolve os aspectos legais de abertura de uma empresa.

Primeiro passo, você deverá definir o nome da nova empresa. Este nome deverá estar em concordância com o seu tipo de atividade para poder ter aprovação da Junta Comercial.

O nome é muito importante e deverá ser de pronúncia fácil, que seja bem lembrado por todos que se relacionarem com sua nova atuação. Neste momento a ajuda de uma empresa ou profissional que seja especializado em desenvolver novas marcas poderá ser fundamental.

Além disso, o empreendedor deverá buscar efetuar o registro do domínio web (www.nomedaempresa.com.br) para desenvolvimento do futuro site e a consulta e devido registro da marca no INPI.

A escolha da atividade é obrigatória e vai estar cadastrada conforme CNAE (Código Nacional de Atividade Empresarial). Nem toda a atividade estará enquadrada no regime do Simples Nacional e deverá ser previamente consultada com auxílio de um contador.

Em seguida temos a escolha do endereço. Determinadas atividades são permitidas no ambiente residencial, reduzindo custos nos primeiros anos. Outras poderão estar em ambientes compartilhados como os de Coworking ou necessitarão realmente de um sala ou loja comercial com toda a documentação como habite-se comercial e alvarás.

Tipos societários e regime tributário

O tipo societário mais simples em vigência no Brasil é o MEI (Micro Empreendedor Individual). Através do Portal do Empreendedor você poderá realizar os passos para a abertura. Este tipo é permitido para uma relação específica de atividades, com no máximo um funcionário e faturamento anual de até R$ 81.000,00. O MEI paga uma contribuição mensal fixa e reduzida que inclui um valor de INSS e outro de ISS ou ICMS, conforme a atividade.

Outros tipos societários importantes:

Sociedade Unipessoal: empresa de responsabilidade limitada com apenas um sócio;

Eireli: empresa com um sócio e com capital social de abertura equivalente a 100 vezes o valor do salário mínimo vigente;

LTDA: empresa com dois ou mais sócios, com pessoas físicas ou jurídicas;

Sociedade Anônima (S/A): modelo de companhia com capital dividido em ações e seus sócios são chamados acionistas.

Acompanhada da escolha da atividade e tipo societário, temos a definição do regime tributário inicial da empresa.

O contador deverá auxiliar na melhor escolha e explicar como será a incidência dos impostos.

Temos três tipos de regime tributário, atualmente: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real.

No Simples Nacional é um regime tributário diferenciado, simplificado e mais usual para as empresas. Reúne os impostos em uma única guia. Exige faturamento bruto anual de até R$ 4,8 milhões.

No Lucro Presumido, há uma presunção de lucro sobre determinado período. É um regime que se faz a apuração simplificada do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). O faturamento bruto para este enquadramento é de até 78 milhões por ano.

Já no Lucro Real, o cálculo do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido (CSLL) é feito com base no lucro real da empresa (receitas menos despesas), com ajustes previstos em lei.

A escolha do melhor regime tributário deverá ser exercida pelo seu contador de confiança.

Realização

O processo de abertura de empresa, portanto, exige vontade, determinação, investimento, planejamento e orientação técnica adequada.

Quando mais estruturada a abertura, maior a chance de sucesso de seu novo negócio.

As pessoas querem vivenciar cada vez mais uma ótima experiência na compra de produtos e serviços, e a sua nova empresa deverá estar preparada tecnicamente e comercialmente para bem atender esta expectativa.

Sabemos, também, que unir forças com acompanhamento e orientação de especialistas é fundamental para realizar um novo projeto com mais confiança e certeza de estar trilhando o caminho certo.

Vamos realizar?

 

 

 

error: Conteúdo protegido!
Powered by