A gestão de clínica envolve um trabalho administrativo árduo e ao mesmo tempo um acompanhamento para que a qualidade no atendimento aos pacientes seja priorizada.
Estamos falando de uma relação humana ainda mais sensível, visto que, os clientes são pacientes e muitas vezes já chegam fragilizados até a clínica.
As atividades que envolvem a rotina de uma clínica são complexas e exigem a segmentação de tarefas por profissionais especializados.
Como acontece com outras atividades empresariais, o diretor não é necessariamente focado em gestão, e para a área da saúde isto se acentua, pois o médico deverá estar centrado no estudo e atendimento de seus pacientes.

Como profissionalizar a gestão?

A gestão envolve atividades de monitoramento e organização. Saber gerir, também, é cuidar e melhorar a relação entre as pessoas da sua equipe.
Devemos, então, estruturar os processos internos e liderar novas implementações. O funcionamento adequado exige alto grau de envolvimento, pois a reputação da clínica estará sempre sendo medida pelos pacientes e pelo mercado.
Um alicerce importante é o planejamento estratégico. Saber ler os indicadores atuais e traçar novas mudanças para as principais áreas envolvidas como: gestão de pessoas, atendimento, relação com parceiros e fornecedores, gestão administrativo financeira, controle do estoque e automação.
Outro importante fator é a análise de risco, pois assim permitimos que os diretores não incorram em passivos futuros sob a ótica trabalhista e tributária.
O objetivo final da profissionalização é reduzir custos e perdas, controlar melhor o financeiro, manter a equipe treinada e motivada, conquistar e reter os pacientes.

O bom gestor

Enquanto o médico deverá cuidar da vida dos pacientes, o bom gestor deverá cuidar da saúde da clínica.
A boa gestão passa, inevitavelmente, por algumas características:

Conhecimento técnico de administração empresarial;
Capacidade de análise;
Perfil de liderança;
Visão de longo prazo;
Experiência e vivência com a área da saúde.

O Brasil tem assistido um aumento do número de clínicas médicas e de empregos gerados pelo setor de saúde.
Mesmo com a pandemia, o setor apresentou saldo positivo, com criação de 78.697 empregos, segundo o Caged.
Para um segmento em expansão, as responsabilidades são ainda maiores e necessitam cada vez mais de uma profissionalização de gestão e acompanhamento de especialistas.
Por ser intensivo em mão de obra necessitamos um olhar importante para a área trabalhista e gestão de pessoas.

Os principais problemas em uma clínica

Vamos agora falar sobre os principais problemas enfrentados.
O primeiro problema de gestão de clínica consiste na falta de planejamento e metas. A gestão e sua equipe deverão analisar com frequência suas respectivas áreas e traçar novas metas e melhorias.
Nem sempre serão necessários novos investimentos, pois processos mais eficazes, proximidade e avaliação da satisfação do cliente paciente e práticas que visem à humanização, podem ser realizados com organização e vontade.
Outro problema importante consiste na falta de gestão financeira. Clínicas médicas estão sujeitas a falência como qualquer outra empresa caso não tenham seus controles eficazes e uma distribuição de lucros adequada.
Muitas vezes ocorrem pagamentos de forma indevida e uma confusão entre contas da pessoa jurídica (clínica) e a pessoa física (médicos).
O treinamento da equipe é outro fator fundamental para manter os clientes satisfeitos, a reputação da clínica em alta e um ambiente adequado de trabalho. A melhor comunicação entre os colaboradores permite, também, uma maior produtividade e alcance das metas.
O marketing digital é um investimento, muitas vezes, deixado de lado, mas fundamental para a atração de novos clientes e bom posicionamento da clínica na sua região.
Devemos permitir o acesso fácil das pessoas, de forma online, aos serviços da clínica e formas de atendimento para conquistarmos boa posição na região de atuação.
Por fim, não saber cuidar dos aspectos jurídicos, trabalhistas e tributários, tem sido um problema para muitas clínicas. O gestor administrativo da clínica deverá ter o acompanhamento de especialistas para que possa desempenhar melhor seu trabalho, garantir a perpetuidade do negócio e segurança para os proprietários, médicos.

O papel da contabilidade na gestão de clínica

A contabilidade deixou de ser somente uma obrigação para ser um parceiro da gestão de clínica.
Devemos, por exemplo, ter um aconselhamento frequente sobre as mudanças na legislação, tão mais frequente nos tempos atuais de pandemia.
Da mesma forma que o gestor da clínica deverá ser um profissional mais especializado na área da saúde, a contabilidade deverá estar focada no segmento de saúde e suas especificidades.
Realizar um bom planejamento tributário e avaliar a melhor alternativa para sua clínica. Nem sempre o Regime do Simples Nacional é o mais adequado, necessitando uma avaliação mais criteriosa ou um diagnóstico.
A separação correta entre as contas da pessoa física e jurídica.
Garantir que os resultados contábeis sejam reflexos da real situação da clínica, melhorando a gestão e evitando passivos futuros.
A gestão de clínica é uma tarefa desafiadora, mas poderá ter mais êxito, se observados os caminhos para uma simplificação das tarefas, apoio de especialistas e de uma equipe engajada no mesmo propósito, a saúde da empresa e seus pacientes.

error: Conteúdo protegido!
Powered by